Proposição artisitica: O Som que o Vento conta – Estela Ceregati e John Stuart-  Cuiabá/ MT

Por: Ana Lia Rodrigues

Em: 29/04/2017

Era noite e havia uma brisa leve e suave que amenizava o clima quente da cidade. O jardim do SESC estava florido de crianças grandes e pequenas. O encanto da música de Estela Ceregatti e Jhon Stuart transportava quem ali estivesse para outros países, para dentro de nossas matas, para o fundo do mar. Cristais, instrumentos, flores e artesanatos poetizavam o cenário.

Do Oriente, a história do pequeno rouxinol e o canto sublime de Estela hipnotizou. Atentos à narrativa e torcendo por um final feliz do pequeno pássaro, assistíamos a cena que melhor representa o espetáculo, um cristal nas mãos da contadora, toda sutileza e preciosidade de contar e cantar estavam em suas mãos naquele momento.

Da Ásia, Europa ao Brasil, entre mares e flores, adentramos a mata, dos índios Kayapó. Um indiozinho curioso descobria o mundo seguindo as sonoridades, timbres e texturas musicais plantadas no universo da percepção. Instantes didáticos que reforçam o sentido de pertencimento à natureza local, matogrossense. A diversidade sonora, instrumentos e vozes, o universo narrativo cênico cauteloso e delicado, o palco oniricamente iluminado por Karina Figueredo compunha o ambiente na medida, criavam fonografias e imagens lindas que só a combinação de um gongo, contrabaixo acústico, castanholas, água, flauta…. e a sensibilidade dos artistas pode fazer.

A plateia se mostrou sensorialmente desperta, respondia a todas as intervenções e quando por fim a dupla deu por encerrado o espetáculo, pediam por mais. O som que vento conta foi a brisa leve da noite de sábado que inspira os sonhos mais puros das histórias infantis que nunca morrem no imaginário, o canto do rouxinol da China na voz de Estela continuou a soprar nos meus ouvidos….

Na parte final, ao reproduzir a sequência quase fiel de trecho do álbum Brincadeira de Roda, Estórias e Canções de Ninar (1983) a dupla assume o seu referencial poético. Parabéns a Semana SESC de Leitura e Literatura 2017 que traz para o jardim a estreia de O Som que o vento Conta e a pioneira dessa tendência em cena, Bia Bedran, que canta e conta o mundo há décadas. Que os jardins sejam sempre encantados assim.

Texto escrito para o blog Parágrafo Cerrado a partir da programação da Semana Sesc de Leitura e Literatura, realizada no período de 25/04/2017 a 30/04/2017, no Sesc Arsenal.

Anúncios